Bacalhau Espiritual

Depois desse post aqui, várias pessoas vieram me perguntar a receita do famoso Bacalhau Espiritual que minha mãe e eu fazemos todos os anos. Ela tem o costume de dizer que esse prato se chama assim porque, quando comemos, “ficamos no céu”.

Não preciso dizer que esse é um prato com um valor afetivo enorme para nós e ele já vem com gostinho de motivos especiais e reuniões de família e amigos. Mesmo que você não seja lá muito fã de bacalhau, não vai resistir a esse. Garanto que será totalmente diferente do que você já experimentou.

Bacalhau Espiritual

Ingredientes
1 kg de bacalhau (tirar o sal, aferventar e desfiar fino)
1 litro de leite
6 gemas
250 g de creme de leite
6 colheres de sopa (bem cheias) de farinha de trigo
2 cenouras grandes raladas
2 colheres de sopa (bem cheias) de manteiga
4 colheres de sopa de azeite
2 colheres de sopa de coentro picado
Noz moscada
2 xícaras de queijo parmesão ralado
1 xícara de bolacha cream cracker picada
Sal
Pimenta do reino
Molho inglês
2 dentes de alho amassados
1 cebola picada

Modo de preparo
Doure o alho e a cebola em 1 colher de sopa de manteiga com azeite. Junte as cenouras raladas e espremidas e refogue bem. Adicione o bacalhau e torne a refogar por alguns minutos.
Doure a farinha de trigo em 100 g de manteiga e, sempre mexendo, acrescente, aos poucos, 800 ml de leite. Mexa sem parar em fogo brando até obter um creme grosso e cozido. Feito isso, afaste a panela do fogo e adicione as gemas desfeitas no restante do leite – passe antes as gemas na peneira. Misture e torne a levar ao fogo. Tempere com sal e retire do fogo assim que começar a ferver, para não talhar.
Misture o creme com o bacalhau, deixando a panela em fogo baixo, sempre mexendo. Adicione 1 ½ xícara de queijo parmesão ralado e o coentro. Tempere com o molho inglês, a noz moscada e pimentão a gosto. Finalmente, adicione o creme de leite (para não talhar, assim que abrir a lata coloque 1 pitada de fermento em pó).
Coloque tudo em uma travessa grande e funda.
Misture a farinha de bolacha com ½ xícara de queijo ralado e um pouco de noz moscada. Espalhe sobre o creme e salpique com manteiga.
Leve ao forno alto por 25 minutos.

Esse post foi publicado em Na cozinha. Bookmark o link permanente.

12 respostas para Bacalhau Espiritual

  1. Tiago disse:

    Até eu, que não sou muito fã de bacalhau, fui convertido.🙂

  2. Marilia disse:

    Esse prato é a cara dos self services do Rio de Janeiro….todo quanto tem! Foi a primeira vez que ouvi falar de Bacalhau Espiritual…. Mas é claro que deixam muito a desejar….aposto q esse sim é o legítimo!!! Quem sabe um dia crio coragem pra enfretar bacalhau….ehehehhe bjos

    • jucampelo disse:

      Oie!
      Não sabia que esse nome era tão comum assim. Garanto que, pelo menos essa receita aqui, é muito gostosa! Faz e me chama, que eu vou.😉

      Bjos
      Ju

  3. Jú, esse bacalhau é maravilhoso. Adoro o ano todo… e não vou deixar de experimentar essa receita. Fiquei em dúvida se o creme de leite é com soro ou sem. Abraços, Adriana.

    • jucampelo disse:

      Oi Dri!
      Experimenta sim, você vai gostar!
      Dê preferência ao creme de leite sem soro, viu?

      Obrigada pela visita.
      Beijos.
      Ju

  4. Ju este bacalhau parece MARA hein!!! Amoo bacalhau e depois vou tentar fazer esse para experimentar!Sua Mamys deve fazer mó sucesso com ele hein !!hahaha

    Beijos!!

    • jucampelo disse:

      Eu gosto muuuito dessa receita, que me acompanha há anos. Mami é toda orgulhosa de saber fazê-la sim. hehehhehe

      Bjão!😉

  5. edhowler disse:

    Oi Jú!
    Pode explicar melhor a parte de preparar o bacalhau pra refogar? Você só disse que é pra tirar o sal, aferventar e desfiar… nunca fiz essa brincadeira com peixe algum rs…

    • jucampelo disse:

      Oi Mizuta!
      O bacalhau geralmente vem com bastante sal, então é interessante que se deixe de molho de um dia pro outro em água (trocando a água algumas vezes) ou por algumas horas no leite etc. Também há a opção de comprar metade do bacalhau com sal e metade sem e misturar tudo no preparo.
      No caso de outros peixes, como você comentou que iria fazer, acredito que não há necessidade, então é só fervê-lo um pouco (até mudar um pouco a cor) só para ficar no ponto de desfiar (ele fica mais macio e ai você conseguirá desfiá-lo mais facilmente) e “picar” em pedacinhos, com as mãos mesmo (essa é a parde que eu acho mais trabalhosa). Depois disso é só acrescentar aos poucos o peixe (desfiado) no refogado já com as cenouras.
      Não sei se respondi a sua pergunta totalmente. Qualquer coisa “grita” aqui, viu? =)
      Beijão e boa sorte!

      • edhowler disse:

        Ah tá rs. Explicou quase tudo. É que eu sou iniciante mesmo. Quando você fala ferver, você quer dizer mergulhar o peixe na água fervendo ou cozinhar no vapor?

  6. Pingback: O almoço com o Quarteto Fantástico e uma massa de tortas muito versátil. | Sim, please.

  7. jucampelo disse:

    Mergulhar o peixe em água fervendo mesmo, Mizuta. =D

    Beijos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s