Sorvete-mousse de chocolate crocante ou O tripé custo-tempo-benefício

No exercício da arquitetura, e em praticamente todas as áreas, existe uma espécie de “gangorra” de três lados, como um triângulo, que regem e definem o equilíbrio (ou o desequilíbrio) de tal atividade. Em uma ponta do triângulo está o tempo e nas outras duas estão o custo e o benefício. O tempo está explicado por si só. O custo seria a quantidade de dinheiro que se tem para investir naquela atividade, objeto, campanha ou, no caso, projeto/obra. O benefício seria o Partido do projeto somado-se às outras soluções e idéias mais específicas. Em outras áreas poderíamos chamar, simplificando, é claro, de Conceito do trabalho.

Especialmente nos casos de projetos comerciais, explico pros meus clientes que precisamos destes três apoios para que um projeto saia de acordo com o esperado, e que, dependendo de quanto temos de um, o outro poderá ser beneficiado ou prejudicado: se dispusermos de pouco dinheiro, mas muito tempo, tanto o cliente como o arquiteto poderão pensar em boas soluções e que não custem tanto, maturando-as de forma a chegar em um Projeto Executivo bastante detalhado para que a obra seja o menos dispendiosa possível. Resumindo, se temos pouco dinheiro, precisamos de um pouco mais de tempo para chegar a soluções adequadas.

Se o cliente dispõe de pouco tempo, terá que investir um pouco mais para que o Partido não seja prejudicado. Com mais dinheiro pode-se fazer uma obra mais rápida, escolher soluções um pouco mais caras, mas com mais tecnologia e ampliar as possibilidades para o Conceito do projeto, já que possui um prazo apertado.

Isto é, se quisermos um bom Partido arquitetônico, temos que dispor de, no mínimo, um pouco de tempo ou de dinheiro para tal. O desafio é equilibrar os prazos com os orçamentos e, junto com a experiência, tentar chegar ao tão almejado Conceito ideal, o mais rápido possível.

Pois bem, o que isso tem a ver com um sorvete de chocolate crocante?

Essa receita, ensinada pela minha amiga Tuana, exemplifica o que eu disse aí em cima e é, para mim, um ótimo exemplo de custo-tempo-benefício.

Um sorvete com uma solução tão boa, que vocês leitores, quando provarem, não irão acreditar que é assim tão fácil de fazer. O único “porém” é que o preço é um pouquinho mais alto do que os que costumo fazer. Entretanto, leva pouquíssimos ingredientes, não suja muita louça, não precisa de experiência nenhuma, é muito, muito rápido e o resultado é incrível: macio, crocante, delicioso. Ótimo equilíbrio.

Sorvete-mousse de chocolate crocante
Ingredientes:
1 pacote de bombons de chocolate Crocante da Garoto (aqueles vermelhos retangulares)
1 lata de Moça Fiesta Cobertura de chocolate
2 caixinhas (400g) de creme de leite

Modo de preparo:
Retire os papéis dos bombons e triture-os até ficar como uma farofa grossa (eu fiz tudo no liquidificador, parando e mexendo de vez em quando para ajeitar os bombons). Reserve. Aproveitando o liquidificador, bata o Moça Fiesta com o creme de leite e despeje numa vasilha. Deixe no congelador por uma hora, retire e acrescente os bombons triturados, misturando com uma colher. Coloque novamente no congelador e espere umas 4 horas ou até que fique bem firme. Sim, please assim!

Esse post foi publicado em Na cozinha. Bookmark o link permanente.

12 respostas para Sorvete-mousse de chocolate crocante ou O tripé custo-tempo-benefício

  1. tutuka disse:

    Que emoção! :’-)
    Mas a receita mesmo é da minha sogrinha, e eu já nem lembrava mais. Naquele dia que tu me perguntou eu fiquei pasma com o fato de que eu tinha esquecido.
    Essa receita é muito boa mesmo. Fico só lembrando do gosto vendo essa foto linda! Pena que não tem Moça Fiesta aqui em Montreal…

    • jucampelo disse:

      Pois é, Tu. Também lembrei bastante de ti fazendo essa receitinha! Não tem nada parecido por ai? Tipo, como tem muita coisa “semi-pronta”, é capaz e ter alguma cobertura pronta de chocolate que de pra fazer…😛

      Beijos!

  2. Pedro Ciarlini disse:

    “Sim, please” já é um trocadilho… “Sim, please assim” tá quase me alcançando, Ju.
    Assim, vou contar uma piada :P…

    • jucampelo disse:

      Oi Pedro! Descobriu o Simples no SIm, please?🙂
      heheheh
      Valeu pelo elogio e pela visita!
      =)
      Beijos.

  3. Midori disse:

    Olá, Juliana!
    Amei seu blog, ainda mais porque você tem muita receita sem manteiga/margarina, que eu odeio!
    Queria te dar uma dica, mas por e-mail, pode ser?
    Beijoca.

  4. Frida Popp disse:

    Ju! Arrasando como sempre… Que receita linda, fácil e MARAVILHOSA!

    • jucampelo disse:

      Olá, linda Frida! Eu também adoro essa receita! tenta em casa que você vai amar!

      Beijão, querida!

      :*

  5. Juliana Linhares disse:

    Será que funciona se trocar o moça fiesta, por brigadeiro feito em casa?

    • jucampelo disse:

      Oi Ju!
      Que ótima ideia! Eu acho que pode dar certo sim, mas eu deixaria o brigadeiro de panela mais no ponto de cobertura mesmo. Sabe quando ainda não está tão durinho? Deixa menos que 10 minutos no fogo ou então acrescenta um pouco de leite na receita do brigadeiro que deverá ficar maravilhoso!
      😉

      Beijos!
      Ju

  6. polivalente disse:

    Eu quero esse!

  7. Pingback: Risoto de aspargos | Sim, please.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s